Estado australiano de Victoria promove proibição de exibição de símbolos nazistas

A proposta de proibição de símbolos nazistas como a suástica, exceto para fins educacionais ou históricos, será apresentada ao parlamento no início do próximo ano.

Um menino carrega um cartaz intitulado 'No Nazis' durante uma manifestação em Melbourne em 4 de dezembro de 2017. (AP / Arquivo)

O estado australiano de Victoria está elaborando uma legislação que o tornaria o primeiro no país a proibir a exibição pública de símbolos nazistas conforme a atividade neonazista local aumenta.

A proposta de proibição de símbolos nazistas como a suástica, exceto para fins educacionais ou históricos, será apresentada ao parlamento no início do próximo ano e parece que se tornará lei com legisladores da oposição expressando seu apoio.

A lei foi recomendada por um inquérito parlamentar no início deste ano, que citou um recente aumento na atividade neonazista no segundo estado mais populoso da Austrália.

Este anúncio é um triunfo retumbante para as vítimas do Holocausto, os sobreviventes e nossos bravos escavadores (soldados australianos) que morreram para derrotar o malvado regime do Terceiro Reich, e uma derrota dos neonazistas locais que buscam manter vivo o legado de Hitler, disse Dvir Abramovich, presidente da Comissão Anti-Difamação, uma organização comunitária judaica australiana.

O chefe da inteligência antiterror Mike Burgess alertou no mês passado que australianos com apenas 16 anos estavam sendo radicalizados para apoiar uma guerra racial de poder branco, e que metade dos casos mais importantes de antiterrorismo doméstico da Australian Security Intelligence Organisation agora envolvem células neonazistas e outros grupos com motivação ideológica.

Burgess, diretor-geral da ASIO, disse à mídia que a mudança na ameaça à segurança nacional do terrorismo de motivação religiosa estava sendo alimentada pela desinformação em torno da pandemia Covid-19 e outros eventos globais.