Novo livro de Sean Spicer: Praise for Donald Trump, críticas para a imprensa

Ao longo do livro, Spicer fica surpreso com Trump, um homem que ele descreve como 'calculista e inconstante, carismático, mas errático' e 'capaz de derrotar qualquer pessoa, inclusive ele mesmo'.

Sean SpicerO Briefing do ex-secretário de imprensa dos EUA, Sean Spicer. (Fonte: Reuters)

O novo livro do ex-secretário de imprensa da Casa Branca Sean Spicer refletindo sobre seu tempo no pódio pinta uma imagem rósea, embora às vezes espinhosa, de seu ex-chefe, descrevendo o presidente Donald Trump como um unicórnio, cavalgando um unicórnio sobre um arco-íris e um homem a quem as regras regulares da política não se aplicam.

Em The Briefing: Politics, the Press and the President, lançado na terça-feira, o ex-porta-voz e estrategista do Partido Republicano também é altamente crítico do que descreve como a mentalidade de rebanho da imprensa e seu foco na intriga do palácio sobre a política. Destaques:

NO TRUMP

Ao longo do livro, Spicer fica pasmo com Trump, um homem que ele descreve como calculista e mercurial, carismático, mas errático e capaz de derrotar qualquer pessoa, incluindo ele mesmo.

Acho que nunca mais veremos um candidato como Donald Trump, escreve Spicer, descrevendo Trump como singular no mundo da política. Sua atuação na corda bamba é uma que poucos poderiam seguir. Ele é um unicórnio cavalgando um unicórnio sobre um arco-íris.

Spicer também observa que, durante a campanha, Trump cruzaria a linha, saltaria sobre a linha e dançaria alegremente para frente e para trás sobre a linha. Mas ele nunca pagou o preço que qualquer outro candidato pagaria.

EM SEUS PIORES MOMENTOS

Spicer reflete longamente sobre sua desastrosa coletiva de imprensa, na qual ele tentou, com raiva, contestar o fato de que a posse de Trump atraiu uma multidão menor do que a primeira do presidente Barack Obama.

Em retrospecto, ele escreve, eu deveria ter abaixado a temperatura e não questionado tão amplamente os motivos da mídia. ... Os verificadores de fatos disseram que minhas calças estavam pegando fogo, os críticos de moda zombavam de meu terno risca de giz cinza claro pela forma como subia em meu pescoço e minha primeira aparição diante da mídia na Sala de Briefing de Imprensa abriu um precedente infeliz de uma imprensa beligerante confrontada com um secretário de imprensa igualmente beligerante.

Spicer diz que estava fazendo o que achava que o presidente queria ao ser combativo com a imprensa naquele dia, mas logo percebeu que estava causando uma péssima primeira impressão que acabou sendo o começo do fim.

O ex-porta-voz também descreve com quase descrença um episódio no qual ele afirma erroneamente que Adolf Hitler nunca usou armas químicas contra seu povo ao criticar o presidente sírio, Bashar Assad. Ele escreve que há muito aconselha os republicanos a seguirem uma regra simples: nunca, nunca fale sobre estupro ou compare qualquer coisa ou pessoa a Hitler ou ao Holocausto. Sempre.

SOBRE SUAS FRUSTRAÇÕES

Spicer muitas vezes parece frustrado - com a imprensa, a campanha de Trump e, mais tarde, sua administração.

Refletindo sobre seu trabalho e tentativas de suprimir vazamentos persistentes, ele escreve: Às vezes eu me sentia como um mergulhador, abandonado no meio do oceano, pisando na água.

Ele descreve a Casa Branca como sendo estruturada para operar como um labirinto de feudos em vez de uma unidade coesa, gerando tensões, e chama seu relacionamento com a imprensa de radioativo.

Ele também questiona o uso do Twitter por Trump, chamando a plataforma de mídia social favorita do presidente de uma faca de dois gumes.

Às vezes, ele corta a oposição e às vezes corta suas melhores mensagens.

IMPACTO EM SUA FAMÍLIA

Ao descrever como o trabalho afetou a ele e sua família, Spicer se lembra de ter sido confrontado por um crítico de Trump enquanto comprava ervilhas congeladas em um supermercado.

Spicer diz que ele e sua esposa conheceram bem o departamento de polícia local e instalaram câmeras de segurança em sua casa e tiveram seus pacotes rastreados em resposta a ameaças. Ele também diz que sua casa foi listada em vários sites de imobiliárias sem o conhecimento da família.